6 de julho de 2018

Luminária de emergência: as normas técnicas de uso

atualizado em 20 de julho de 2018 às 16:39

Sem categoria Sem comentários

Quem nunca viveu o imprevisto de ficar sem energia elétrica em casa? Nesses momentos, a luminária de emergência é muito importante. Afinal, esse tipo de aparelho permite que você continue fazendo suas atividades com conforto e segurança.

luminária-emergência-creative-cópias

Para além do ambiente doméstico, a luminária de emergência é essencial para prédios, comércios em geral, escolas, hospitais, universidades, casas noturnas e muito mais. Isso porque, em todos esses espaços, claro, sempre há riscos de queda de energia elétrica ou até mesmo de incêndios.

Normas e Técnicas Emergenciais

O que muita gente não sabe é que há normas para a instalação e uso de luminária de emergência. As regras são definidas tanto pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), como pelo Corpo de Bombeiros.

Os regulamentos indicam onde as luminárias devem ficar, a intensidade de luminosidade gerada, a distância entre as luminárias e outros detalhes. Seguir todas as nomenclaturas é necessário, uma vez que elas fazem parte do plano de prevenção e contenção de incêndio.

Quais as normas para uso da luminária de emergência?

Selecionamos algumas das normas estabelecidas pelo Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo. É importante ressaltar que há ainda várias outras regras. Você pode conferir o manual completo aqui.

Normas

5.4.1.1 A distância máxima entre os pontos de iluminação de emergência de aclaramento não deve ultrapassar 15 m e entre o ponto de iluminação e a parede 7,5 m. Outro distanciamento entre pontos pode ser adotado, desde que atenda nos parâmetros da NBR 10898.

4.7.1 As luminárias para a iluminação de emergência, além de satisfazer esta Norma e outras normas pertinentes, devem obedecer aos seguintes requisitos:

4.7.1.1 Resistência ao calor: os aparelhos devem ser construídos de forma que, no ensaio de temperatura a 70°C, a luminária funcione no mínimo por 1 h.

4.7.1.2 Ausência de ofuscamento: os pontos de luz não devem ser resplandecentes, seja diretamente ou por iluminação refletida.

4.7.1.2.1 Quando o ponto de luz for ofuscante, deve ser utilizado um anteparo translúcido de forma a evitar o ofuscamento nas pessoas durante seu deslocamento. A variação da intensidade de iluminação não pode ser superior ao valor de 20:1.

Todas essas normas garantem que, em casos de emergência (incêndio), as pessoas possam visualizar as saídas emergenciais.

Observação: as normas de prevenção e contenção de incêndio podem variar, conforme o tipo de edificação. Procure a cartilha completa de segurança do seu estado.

Manutenção das luminárias de emergência

A luminária de emergência também necessita de cuidados relacionados à manutenção. O indicado é que os aparelhos sejam conferidos e testados a cada três meses. Você também deve fazer a recarga da bateria a cada 90 dias. E se a luminária foi utilizada, deixe-a carregando por, ao menos, 24 horas (assim que a energia voltar, claro). E, antes do primeiro uso da luminária, é recomendado carregá-la por 48 horas.

Autor: Marcelo Silva

Conteúdo Relacionados

Comentários (0)

postar comentário
Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Produtos em destaque

Assine nossa newsletter

Receba novidades e promoções do nosso blog em seu e-mail.

Categorias